fbpx
Relatos de Viagem

Diálogo sem Fronteira – Turismo Sustentável e Ecoturismo


––––––––––––––––––––––––––––––

Assista no Youtube
––––––––––––––––––––––––––––––
turismo sustentável:
––––––––––––––––––––––––––––––
Oi [Música] hoje programa diálogo Sem Fronteira tem a satisfação de receber a professora Isabela Frederico seja bem-vinda Isabela Agradeço pela oportunidade a Isabela ela é bacharel em turismo pela Universidade Federal de São Carlos Campus de Sorocaba depois ela seguiu no seu mestrado em geociências e agora está no seu doutoramento em ambientes

Sociedade também na Unicamp e ela é uma estudiosa diversos temas mas assim particular da questão do ecoturismo em unidades de conservação Conservação da biodiversidade área então é o tema da nossa conversa hoje é sobre ecoturismo eu gostaria de começar Isabela tô perguntando a você o que que é o

Ecoturismo como eles caracterize o que que o diferencia de qualquer outro tipo de turismo para que a gente possa compreender o que é o ecoturismo interessante que a gente volte um pouquinho atrás e compreenda o turismo em sim e os seus impactos né porque o ecoturismo muito mais do que

Comumente pensamos ele não é simplesmente a ida a lugares de paisagens naturais né nós tivemos na década de 70 a atividade turística teve um Boom e se concretizou como um turismo de massa né que gerou impactos em diversas localidades e em diversas comunidades também porque com o barateamento de de

Viagens as pessoas conseguiram em grandes quantidades visitar locais que alteravam suporte de carga né E aí começou a se pensar é em atividades de turismo de trás alternativas Oi e aí o ecoturismo começa a surgir a priori ele surge com outras nomenclaturas né turismo de natureza turismo cultural e

Aí ele se diferencia porque ele vai muito além da ida a a lugares de beleza cênica natural ele tem outra outras relações é nós temos um estudioso no Brasil Paulo Pires que ele analisou as nomenclaturas de ecoturismo e ele viu que ela substancialmente se fortalece em um tripé que A Conservação

Da biodiversidade é o envolvimento das Comunidades tradicionais e a prática de educação ambiental é importante que a gente fala que o ecoturismo ele vai além da simples como a gente diz da simples motivação áreas naturais e ele também pode promover benefícios de conservação e benefícios de envolvimento para própria própria comunidade levemente o

Nó de início que se houvesse grande Boom do Turismo no mundo e no Brasil também gerado por diversos fatores entre eles o enriquecimento da população meio de transportes como os atos que permitiu que as pessoas se deslocassem então houve um crescimento tremendo consciência ambiental paralelamente também nas décadas de 70 e

80 você tem um crescente preocupação com questões ambientais Mas então aí a questão justamente nesse nessa confluência que é onde está o ecoturismo eu pergunto a professora como fica Justamente a questão que muitas vezes a crítica de que o turismo ele é de predador porque ele acaba gerando o hino

Geral não só esquecido a cabeça no ambiental ao você frequentar um lugar aos seus fazer consumo de alguma coisa você está preocupado muitas vezes não com a população local com aquelas com aquelas circunstâncias locais mas com geral e o mico Por parte dos visitantes então aí concretamente no caso do

Ecoturismo quer dizer o turismo que as pessoas vão locais que têm questões ambientais como isso tem sido debatido nas últimas décadas em que essas coisas se tornaram cada vez mais indicadas olha para quando a gente fala em ecoturismo e Conservação da biodiversidade é interessante senhor tocou num ponto legal de análise que ele

Está inserido num contexto maior de problemática ambiental né que a partir da década de 60 70 começar a crítica sobre o modo de produção é sobre os impactos que estava gerando não apenas no ambiente natural mas até em outras comunidades com outras simbologias em relação natureza começaram a ser

Vivenciadas E aí eu acho interessante a gente pensar na culturismo dentro do enfoque da da conservação sobre dois pilares O primeiro é que ele pode aliar o desenvolvimento e Conservação da biodiversidade por exemplo nas unidades de conservação né nos podemos dar a palavra não seria bem um uso mais uma

Relação de que ela tem um papel para a sociedade a fao por exemplo recentemente lançou um um documento o estado das florestas agora nesse ano onde ela fala que o nosso grande desafio é ali as pessoas as florestas né não apenas separá-los por que não são estâncias

Separadas E aí o turismo entra como uma atividade que possibilita o contato das pessoas muito além de ter esse rompimento homem-natureza né que é considerada a grande causa dos problemas ambientais por outro lado o segundo Pilar que eu gostaria de ressaltar é nós olharmos para o turista como um agente de

Transformação muito além do que nós consideramos né de marionetes de agências de viagem O Turista quando ele entra em contato com uma outra real e com outros conhecimentos com comunidades por exemplo que tem outros imaginários em relação à natureza ele pode ter um processo de dessensibilização né até

Mesmo de criação de afeto porque a priori ele pode chegar tem árvore eu tô indo para um ambiente natural mas quando ele chegar lá se ela atividade ela está estruturada organizada com base nos valores das comunidades que estão ali por perto com base na natureza que tá

Ali e não em roteiros pré-formatados O Turista ele pode ter esse esse esse encontro com diferente e isso que que vai gerar enriquecimento né que nós teremos um processo de sensibilização para além da informação porque a informação por si só ela muitas vezes não consegue gerar uma modificação de

Comportamento então quando ele entra em contato com essa autoridade ele pode se sensibilizar e a partir daí também ser um agente de transformação que é uma socióloga que o turismo ecoturismo fala muito de que o ecoturismo como fenômeno social se enriquece quando a gente pensa nisso a marca aí vem quando a gente

Pensa na cor turista como agente de transformação é porque a professora mencionou de maneira muito pra explicar o fato de que uma das principais múltiplos benefícios do Turismo em geral em particular guarda turismo é você ter uma experiência antropológica verificar outras maneiras de compreender um mundo para além

Daquilo que você vive no seu cotidiano dizer então esse é um reconhecimento da pessoa e aí no caso do do você mencionou o que significa a inclusão desta população local que está vivenciando aquilo no dia a dia com esse visitante aí a pergunta que eu faria em seguida em

Que medida isto ocorre e que me diga isso é fácil do correio que me usa tem uma estrutura turística no geral mas aí talvez particularmente aqui no caso do Brasil o que esteja pronta para esse tipo de ação porque que nós temos no campo turístico é muito o

Projeto que vem lá de algumas Décadas atrás do Club méditerranée e outros crescer você cria os novos lugares no locais onde as pessoas vão fazer uma um turismo que se sentem fora de qualquer lugar pode estar na Bahia ou está no para Caribe ou no Mediterrâneo Isso é

Uma forma Digamos que foi consolidado algumas Décadas atrás Então como fazer com que esse novo esse tipo de perspectiva que a inclusão das pessoas e não a você está num lugar como como isso Systems é possível de ser feito está sendo feito tá É assim nós temos é o

Grande desafio hoje que que o mundo acadêmico que os pesquisadores em torno do Turismo se defrontam e é justamente esse o envolvimento das Comunidades não apenas na execução durante a atividade mais anterior é isso né no planejamento e no próprio desejo de ter aquela atividade né Nós temos

Casos de unidades de conservação no Brasil que não permitem por exemplo as comunidades estarem no entorno dessas áreas protegidas elas estão portanto na fronteira já por outro lado nós temos também por exemplo as reservas particulares que é uma iniciativa de conservação da biodiversidade que o próprio proprietário tem né de tombar a

Sua área E aí se torna muito interessante porque ele pode dar esse uso ele pode dar essa valoração para sua para sua área então Voltando à pergunta o senhor é muito importante que as comunidades estejam envolvidas nisso nós não podemos dizer que nós temos um modelo pré-formatado uma receita de bolo para

Isso porque cada local tem Aço um tem a sua simbologia e isso justamente torna interessante para o turista quando ele chega né Para a gente não ter aqueles modelos pré-formatados no qual ele não tem esse esse encontro na verdade quando você fala em ecoturismo é você pensa muito além de uma atividade econômica

Mas tem a viagem no sentido de você romper as barreiras né até do subjetivo E aí quando a atividade ela está organizada é de forma protagonista pela comunidade ela pode através do encontro entre visitantes e comunidade receptora promover isso porque a professora Isabela entre as suas investigações ela pesquisa justamente essa questão da

Espiritualidade desses lugares né porque muitas vezes não associa a gente pensa em espiritualidade e liga a por exemplo a turismo de Cultural de igrejas Pois é naturalmente se pode estabelecer uma relação mais direta entre o turismo cultural e social mas na verdade a professora 15 vir sem noção como é que

Ser essa questão subjetiva da espiritualidade da natureza para os visitantes é um particularmente estive pesquisando uma reserva particular de patrimônio natural que fica em Minas Gerais Santuário do Caraça e lá interessante porque nós temos a parte cultural ela tá muito vinculada a uma religiosidade católica só que o

Ambiente natural é faz com que essa religiosidade ela seja diluído em uma espiritualidade que abraça essa relação e a gente aí tem a quebra desse oposto natureza e cultura e com isso ela pode abraçar muitos outros visitantes que vêm contato é que vem na busca por essa espiritualidade né que é representada

Através do silêncio é representada através das caminhadas no meio natural na desaceleração do tempo nosso tempo tá muito pautado pelo relógio Boa tarde lá provavelmente não pega o celular Então pessoal não está conectada 24 horas depois não tem esses meios tecnológicos Netão facilitado as pessoas podem por

Exemplo sentar é contemplar a paisagem a contemplação ela também tá muito Evidente nessa espiritualidade e também conversar com outro né Para Além das imagens e para além do tempo formatado dos do Turismo caracterizado pela pela massa né turismo de massa perdão Então essa espiritualidade no ambiente natural e na

Cultura ela pode se manifestar nessa forma principalmente nas áreas naturais né pela Liberdade de caminhar por você não está preso a compromissos e pela possibilidade de conversar e principalmente de aprender com outro aí a gente pode ter ambientes que quiseram afeto que geram sensibilizações que

Geram um ser mais crítico né até do seu próprio comportamento né da sua atuação quando ele volta para sua vida cotidiana o A Isabela é queria agradecer muito a participação porque é quando pensamos em turismo muitas vezes pensamos justamente apenas naquilo que é de massa pensamos em turismo estamos muitas vezes voltados

A ideia de consumo EA Professora Isabela nos apresenta outras facetas inclusive desse aprendizado muito a espiritualidade não tenho que agradecer muito a incerteza que o nosso público para começa verificará a olhar esse fenômeno turístico como algo muito mais rico do que pode ser apenas uma agência de turismo agradece pela oportunidade foi um

Presente a bom E com isso eu convido a todos seu próximo programa diálogo Sem Fronteira a [Música] E aí [Música]

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo